FUTURISTA NA MEDICINA

Cirurgião chinês realiza primeira remoção robótica de próstata de maneira remota do mundo;

O médico estava em Roma e o paciente, em Pequim; a cirurgia foi transmitida ao vivo durante a conferência anual Desafios em Laparoscopia e Robótica e IA, realizada em Roma.

Um cirurgião chinês realizou a primeira remoção robótica remota transcontinental de próstata do mundo – o médico estava em Roma e o paciente em Pequim, segundo informações da CCTV, a rede de televisão oficial da China.

A operação de longa distância – também conhecida como telecirurgia – utilizou um console cirúrgico ligado remotamente a um conjunto de braços robóticos com a ajuda de uma rede 5G e ligações de fibra óptica.

“A telecirurgia é uma das tendências mais importantes no futuro da cirurgia”, disse Zhang Xu, diretor de urologia do Hospital Geral do Exército de Libertação Popular (PLA), que realizou a cirurgia, de acordo com um relatório do site oficial de notícias do PLA. A cirurgia é realizada com assistência robótica controlada remotamente, de modo que cirurgião e paciente não precisem estar no mesmo local.

O procedimento utiliza um console que exibe uma imagem em tempo real do paciente, permitindo ao cirurgião detectar movimentos e direcionar os braços robóticos que realizam a operação.

Enquanto Zhang realizava a prostatectomia na Itália, uma equipe médica e um cirurgião reserva estavam com o paciente na China, onde braços robóticos obedeciam a cada movimento que Zhang fazia para remover o tecido canceroso.

“O maior problema da cirurgia remota é o risco de atraso na comunicação. Mas hoje basicamente não tem atraso, então é quase igual a fazer a cirurgia no local”, disse Zhang, de acordo com uma reportagem do canal militar da emissora estatal CCTV.

A cirurgia foi transmitida ao vivo durante a conferência anual Desafios em Laparoscopia e Robótica e IA, realizada em Roma, de 5 a 7 de junho. “Para mim foi realmente uma experiência histórica, um momento histórico”, disse Vito Pansadoro, um dos diretores da conferência e especialista em cirurgia robótica, segundo a CCTV.

A distância total real de comunicação bidirecional entre Zhang e seu paciente foi de mais de 20.000 km, um desafio considerável, uma vez que distâncias maiores podem causar mais latência entre o console do cirurgião e a resposta dos braços robóticos no local.

Neste caso, a rede de telecomunicações 5G da China ajudou a reduzir o atraso para uma latência de 135 milissegundos, menos que a latência de 200 milissegundos que vários estudos identificaram como ideal para telecirurgia.

Antes da telecirurgia da próstata, Zhang e a sua equipa haviam realizado mais de uma centena de estudos experimentais em animais. A equipe também realizou uma operação simulada para testar o atraso entre Roma e Pequim.

“O futuro é agora!”, disse Michael Stifelman, presidente de urologia do Centro Médico da Universidade Hackensack, acrescentando que parecia que Zhang estava na mesma sala que o paciente.

Zhang disse ao site de notícias do PLA que a telecirurgia poderia ser usada para aplicações médicas militares no futuro, e que há planos para equipar a equipe internacional de busca e resgate da China com equipamento cirúrgico remoto.

Confira mais Notícias

OPORTUNIDADE EUA

Quer mudar para os EUA? Saiba qual o estado americano que paga US$ 12 mil para quem for morar lá;

APREENSAO DE BRINQUEDOS LEGO

Polícia recupera 4 mil conjuntos de Lego roubados, avaliados em mais de R$ 1 milhão;

CANADÁ BUSCANDO CUIDADORES

Canadá busca 15 mil estrangeiros para trabalhar como cuidadores com residência permanente;

LOUCURA DE FÃ

Carta de 5 quilos e 500 metros: fã entrega presente inusitado para Bruno, da dupla com Marrone;

ATENÇÃO ESPECIAL

Saiba qual é a coisa que os passageiros de avião mais odeiam que os outros façam em um voo;

RACISMO NA ESPANHA

Em sentença inédita na Espanha, torcedores do Valencia são condenados à prisão por insultos racistas contra Vini Jr;

NÃO VISITANTES

Ilha em São Paulo está entre lugares proibidos para visitação humana ao redor do mundo; veja lista;

TRABALHO

Semana de 4 dias de trabalho tem aumento de produtividade e redução no estresse, mostram testes.